In Destaque
Quem acompanha o meu trabalho e minha trajetória, sabe que eu mudei recentemente para os Estados Unidos e estou morando em Palo Alto, na Califórnia. Meu marido foi aceito em um programa de PHD em Stanford e eu vim acompanhá-lo neste sonho que é estudar em outro país. Não poderia estar mais feliz em poder contribuir com ele na realização de mais essa conquista. Estamos começando a formar nossa família em um lugar cercado de possibilidades e isso tudo é muito desafiador. Nós moramos bem no olho do furacão das tecnologias e inovações: o Vale do Silício. Por aqui, todo dia tem uma novidade. Como especialista e entusiasta da organização digital, que lugar melhor para aprender e praticar do que aqui? Mas como a cultura americana é diferente da cultura brasileira, não posso dizer que o processo vem sendo fácil. É muito complicado você ficar distante da sua família, dos seus amigos. É muito complicado você deixar uma carreira mais sólida para construir algo novo e incerto em outro país. Eu tive muitos receios quando cheguei e continuo com uma série de dúvidas, mas se tem uma coisa que o Vale do Silício me ensina todos os dias é que todo mundo aqui batalha muito para viver os seus sonhos. E eu não vou desistir.

A verdade é que trabalhar com organização, mesmo em um país onde esta área é mais conhecida, não é a coisa mais fácil do mundo não. Começar do zero, em outra língua, com pessoas que possuem um comportamento diferente do comportamento do seu país é um desafio diário. O ritmo de trabalho é diferente do ritmo de trabalho do Brasil. Mas pelo menos neste ambiente da Universidade as pessoas abraçam quem vem de fora. E no meio de mexicanos, coreanos, brasileiros, americanos, chilenos, uruguaios, espanhóis, japoneses, chineses, holandeses e de tantas outras culturas mais, o que mais eu tenho me empenhado é em aprender. Tem dias que eu conheço o mundo sem sair da minha casa, apenas embarcando nas histórias de outras pessoas.

Tudo isso é muito delicioso se você está assegurado. É importante ressaltar que não vale a pena você vir arriscar uma carreira aqui se você não tiver o suporte suficiente para arcar com isso. Ou seja, não dá pra vir ilegalmente prestar serviços porque você corre um risco imenso de ser deportado, preso e um monte de outras coisas. Eu possuo o visto J2 porque o meu marido possui o visto J1. Este é um tipo de visto que me permite trabalhar aqui no país. Mas para isso é necessário aplicar para uma autorização de trabalho, que você paga e recebe depois de três meses. Neste período de três meses na qual ainda não posso trabalhar diretamente com americanos, estou me empenhando no meu negócio digital com o Brasil, meus estudos e na observação da cultura americana. Isso tem me ajudado muito a alinhar perspectivas.

Investir em estudos é uma excelente alternativa pra quem vem de fora. Primeiro, por conta do aprendizado em outra língua que é sempre muito enriquecedor, segundo porque há muito o que aprender por aqui, seja na área de organização, produtividade ou empreendedorismo. Antes de vir para a Califórnia tirei a certificação de Professional Organizer pela NAPO – Associação Nacional de Organizadores Profissionais. A NAPO (http://www.napo.net/) é um grupo de aproximadamente 4.000 organizadores profissionais que se dedicam a ajudam indivíduos e empresas, trazendo ordem e eficiência para as suas vidas. No treinamento que passamos na NAPO, vemos os princípios fundamentais de produtividade, ética para organizadores profissionais, como iniciar um negócio de organização, avaliação de necessidades, gestão da informação residencial, gestão do tempo de dentro pra fora, gerenciamento de projetos, segurança no ambiente de organização e desorganização crônica.

Outro lugar interessante para aprofundar nos estudos é o ICD (https://challengingdisorganization.org/), onde podemos encontrar várias frentes para entender o aspecto da Desorganização Crônica. Ano que vem pretendo começar a realizar cursos no ICD e é claro que eu vou contar tudo pra vocês depois.

Como eu acabei de chegar, observação e estudos são meus focos agora. Estou me empenhando muito em conhecer esta cultura e estabelecer um networking legal. E para isso, o melhor mesmo é viver e eu amo esta parte do processo! Conversar sem medo de errar a gramática, perguntar sem medo de parecer bobo, explorar sem medo de quebrar a cara. Empreender a distância depende de muita coragem e foco, mas o brasileiro faz muito sucesso aqui no Vale do Silício. Eu acho que é por conta do nosso “jeitinho” de ter sempre uma solução pra tudo. Rs

Pensando nisso, me arrisquei a voluntariar enquanto não posso efetivamente trabalhar em solo americano (só depois que sair minha permissão). Fui ao departamento de estudantes internacionais aqui da Universidade de Stanford, apresentei uma proposta e é com muita alegria que divido com vocês que ano que vem, em Janeiro, eu darei o meu primeiro Workshop em Inglês aqui em Stanford, para outras famílias que vivem na mesma situação que eu. O tema do Workshop será “Organize your entire home” e estou muito animada e grata por esta oportunidade. <3

Não é simples recomeçar. Mas impossível nunca esteve no meu vocabulário.

Beijos e até a próxima!

 

Recent Posts
Showing 2 comments
  • Marcelo Tortamano Rechiche
    Responder

    Olá Gabi! Parabéns pelo artigo e ainda mais parabéns por sua determinação em se desenvolver, empreender e compartilhar seus conhecimentos em uma cultura diferente. Você realmente é motivação pura! Sou seu fã! Parabéns e Sucesso! Grande abraço!
    Marcelo

    • Gabriela Brasil
      Responder

      Muito muito muito obrigada, Marcelo! 😀
      Bom ter você por aqui. Abraços!

Leave a Comment

Receba minhas dicas de organização pessoal em sua caixa
INSTAGRAM
FACEBOOK
Contato

Envie um e-mail e entrarei em contato em breve

Not readable? Change text. captcha txt

Start typing and press Enter to search